sexta-feira, 29 de agosto de 2014

BABY BOOMERS, X, Y E AFINS...

Certa vez tive a oportunidade de fazer um vídeo para uma aula de MBA e utilizei a abordagem: Gerações Gerando Diferenças. Embora o trabalho tenha sigo amador, e diga-se de passagem, bastante o foi, quis refletir sobre o poder que cada uma destas gerações têm em si mesmo, percebendo que, ainda que o tempo passe, sempre haverá espaço para quem já contribuiu bastante, e também para aqueles que continuam contribuindo e preparando o caminho dos que virão. Ou seja, é uma forma de fomentar que todas as gerações sejam participantes ativas nos processos de transformação da sociedade, e obviamente, das organizações.

Como pano de fundo, achei interessante brincar com a música StarShips de Nicki Minaj, que de alguma forma reflete nas premissas que podemos utilizar para o mundo corporativo, e reforçam até mesmo as crenças individuais de auto desenvolvimento e motivação. Por isso a reflexão na abordagem "Naves espaciais foram feitas pra voar, portanto, mãos para cima, e vamos tocar o céu. Não podemos parar, pois estamos tão alto e vamos fazer isso mais uma vez!". 

De forma muito curiosa esse texto me faz enxergar que desde nossos pais ou avós (geração pós II Guerra), passando pelos graduandos/MBAndos das gerações coca cola e em seguida os Mc Donalds - com seus ypsilons que sentam à mesa da diretoria com a mesma despretensão de um almoço com um grande amigo, até chegar às nossas pequenas crias que já vêm com um tablet do ventre - o discurso pode ser reforçado.

Todos podem voar, todos podem tocar o céu e seguir em frente. Seja você babyboomer, x, y ou z, tem lugar pra você. Até mesmo o clássico twinkle, twinkle little star, está lá pra não te deixar esquecer.




Demétrius Rocha

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

7 Dicas de Ouro para o Linked In

Um dos tipos de coaching mais procurados atualmente é o Coaching de Carreira. Muitas pessoas tem se sentido insatisfeitas com o rumo de suas carreiras ou, ainda que estejam no lugar onde todos disseram que seria a recompensa pelos anos de “ralação”, como um cargo de gerência ou diretoria, essas pessoas se sentem frustradas e querem entender o porquê.

Uma das maneiras de impulsionar a carreira, nos dias de hoje é, sem dúvida, através das redes sociais – e, falando de mundo corporativo, o Linked In tem grande destaque em aumentar o networking e fazer prospecção de novas vagas de emprego. Muitos profissionais de RH das grandes empresas e headhunters hoje buscam profissionais para participar de processos seletivos através do Linked In, bem como publicam vagas nos Grupos de interesse do potencial candidato.

Além do Linked In atender às necessidades de carreira, ele também pode ser utilizado para fazer negócios e vender serviços – afinal, o networking é muito poderoso para indicações e os Grupos, novamente, acabam tendo um papel importante em unir pessoas com os mesmos interesses.

Mas como posso melhorar minha atratividade ao mercado através do Linked In? Muitas pessoas reclamam que participam ativamente dos grupos, enviam currículos, são ótimos profissionais – mas ninguém contata. Esse artigo não tem intenção de esgotar o assunto, longe disso, mas apenas reunir algumas dicas de ouro para você melhorar os atuais resultados do seu perfil. Veja abaixo: