terça-feira, 4 de agosto de 2015

ME EMPRESTA UMA CANETA? REAÇÃO EM CADEIA.

Estava ouvindo com muita atenção Irland naquela manhã de domingo quando nos reunimos em um pequeno grupo pra um bate papo sobre o tema do dia. As abordagens eram bem interessantes, dadas as associações que nos transportavam com muita habilidade para suas metáforas.


Então alguém me toca nas costas perguntando se eu tinha uma caneta. Pedi que esperasse, pois como naquele momento eu não tinha uma caneta para dispor, iria verificar com o senhor da cadeira à minha frente. Perguntei a ele, que gentilmente me cedeu a caneta e passei à senhora atrás de mim. Notei que tão logo ela recebeu a caneta, fez o mesmo passando-a para outra pessoa atrás de si, até que chegasse ao seu destino.

As abordagens tema daquela manhã acabaram ficando esquecidas, ainda que tão ricas. Tendo minha atenção voltada então para essa experiência, comecei a refletir em duas situações distintas que tem relação direta com a questão organizacional.

Quando alguém não tem a habilidade ou competência necessária para ser compartilhada e utilizada em determinada situação, o ambiente gera uma movimentação até que a variável seja alcançada, e o evento resolvido. Numa situação inesperada, estaríamos preparados quando formos convocados ou teremos que passar a chance a outra pessoa que tenha a "carta na manga", ou a caneta no bolso ? 

Em segunda reflexão, também podemos, gerar uma reação em cadeia (lembrando aqui do conhecido filme A Corrente do bem), principalmente quando se dá numa demanda em que podemos servir. Ainda que não tenhamos condições isoladamente de atender a demanda, é importante o senso colaborativo e atenção à nossa volta.

Temos a referência de que trabalho em equipe se dá quando imobilizamos um contingente e oficialmente geramos o evento/situação. Mais profunda do que a habilidade de trabalhar em equipe, penso então na disponibilidade em servir, de estar disponível e ser acessível. Quem sabe com essa postura, as pessoas vejam em nós aquilo que nem imaginamos, e a reação em cadeia possa gerar uma equipe que, mesmo sem saber, é capaz de contagiar os disponíveis e acessíveis.

Demétrius Rocha

2 comentários:

  1. Mostra o trabalho em equipe, que sempre valorizei.
    Ajudar e ser ajudado, dividir conhecimento, ser recíproco e respeitar. Usar a habilidade e competência de cada um.
    Acredito que precisamos ter espírito corporativo e humildade para identificar os pontos onde não temos habilidade e precisamos de ajuda, e também dividirmos o que temos de mais forte para que possa ser espelhado nosso conhecimento. Essas atitudes fazem melhor convivência e conquista de resultados.

    ResponderExcluir
  2. Olá Rosana! Seu comentário mostra uma bela característica de empatia com um link de liderança bastante interessante inclusive. Enxergar e entender a habilidade dos demais e inclusive reconhecer nossas fragilidades e pontos cegos é uma competência impar. Parabéns pela contribuição de fomentar um perfil diferenciado de gestão que é tão necessário no mundo corporativo. Muito obrigado pela colaboração, continue nos visitando!

    ResponderExcluir